Sevdaliza – Ison

_______________________________________

Sevda Alizadeh é o real nome da cantora, atriz, produtora e modelo Sevdaliza, com essa pequena introdução já é possível se ter uma ideia do que esperar do trabalho da holandesa-iraniana. Apesar da cantora já ter causado um burburinho há algum tempo graças a seus aclamados Eps e a surrealidade e complexidade de seus vídeos, é ao mesmo tempo uma daquelas artistas que passa despercebida ou sendo deixada para depois, um erro que você não vai querer cometer. Num encontro perfeito entre R&B, Downtempo e Trip-Hop (que nos faz lembrar bastante Banks e Portishead), Ison excede expectativas e se torna um forte candidato para listas de melhores do ano.

Ison é um álbum extremamente provocante e íntimo em sua própria maneira, a obra como um todo representa a cantora sendo mãe dela própria e as faixas por sua vez seriam suas filhas e si própria, por isso não estranhe o contraste entre elas, tudo não passa de diferentes facetas de si mesma, não é difícil notar como algumas músicas soam atemporais e fora do nosso alcance enquanto outras são totalmente mundanas e carnais, tudo isso cria um universo próprio para Sevdaliza onde você tudo pode observar mas jamais fazer parte, o aspecto visual que o álbum cria é nítido a ponto de colocá-la num pedestal do mesmo patamar de outras cantoras como Björk ou FKA Twigs. Chega a ser desnecessário dizer que o impacto que Ison causa, tanto estética quanto sonoramente, é mais do que o suficiente para arrancar boas críticas ou chamar a atenção de qualquer um que esteja ao alcance dele.

A escassez de álbuns consistentes ou chamativos em 2017 abre ainda mais espaço para o trabalho da cantora, deixando-a a par de lançamentos mais viscerais e singulares como Arca e Perfume Genius, todas as citações já citadas aliás não ofuscam, diminuem, somam ou tem a intenção de simplesmente parear Ison com outros trabalhos, simplesmente evidenciam o nível do mesmo, e se tratando de um debut, é um feito e tanto. Do começo ao fim tudo atrai a curiosidade do ouvinte e o deixa querendo mais, afinal, Sevdaliza realmente é dona de seu próprio universo, onde somos meros espectadores, jamais convidados a entrar e interagir com sua criação.

É difícil se deparar com trabalhos tão potentes e bem pensados como Ison, e mais difícil ainda não se empolgar com o que Sevdaliza prepara para o futuro, mas vale lembrar que todos os aspectos citados do álbum realmente só funcionam juntos, para fazer toda a experiência de Ison valer a pena é preciso sim ir um pouco mais fundo na carreira de cantora, não que seja um grande contra, mas acompanhar os vídeos e histórias por trás das músicas deixa tudo mais grandioso.

Uma excelente pedida para mentes férteis e que adoram reinventar não só elas próprias, como tudo a seu redor.

OUÇA: “Marilyn Monroe”, “Hero” e “Bluecid”.

a menina do grimes

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked