Seapony – A Vision

seapony

_______________________________________

Depois de dois álbuns e a inserção de um baterista de verdade, Seapony está de volta após um hiato de pouco menos de três anos (também conhecido como férias prolongadas). Se você gosta de Best Coast, Wavves, Real Estate e toda essa geração de bandas com vocais femininos e som ensolarado com clipes com filtros de Instagram filmados numa Super 8 então escute agora mesmo A Vision, o terceiro álbum do trio, que agora é um quarteto, de Seattle.

Com 11 músicas parecidas, mas não idênticas, a banda aposta na simplicidade para fazer um som gostoso e relaxante de se escutar, seja no trabalho, seja na estrada, seja sozinho ou com aquele ser especial. Ao escutar o álbum você nem percebe o tempo passando e se você deixar no repeat escutará o dia inteiro sem nenhum problema.

Uma mistura entre voltar as origens e evoluir o que já foi feito A Vision é mais simples quando comparado com Falling (2012), segundo album do grupo, porém mais complexo do que o debut Go With Me (2011). Antes a banda era um trio sem um baterista fixo para gravações, deixando uma bateria genérica soar ao fundo de todas as músicas, agora esse trabalho está por conta de Aaron Voros e, mesmo que o trabalho dele na banda seja simples, já é melhor do que um computador tocando. Na questão lírica, Jen continua com sua voz fofa e relaxante cantando sobre a vida e relacionamentos, mas nada muito profundo que junto com o instrumental deixam as músicas leves.

Entre os destaques do álbum “Everyday All Alone” que poderia encaixar em um álbum do Belle & Sebastian, “Let Go” que é a música mais trabalhada com mais instrumentos como sintetizadores, chocalhos e outros aparatos e “New Circle”. Não que as outras músicas sejam ruins, mas são mais do mesmo, não há muito o que destacar além da alegria delas e a paz que elas passam ao escutar.

Enquanto muitas bandas precisam inovar, Seapony se destaca por fazer bem o “mais do mesmo”, de não precisar revolucionar a música para ser boa e em um cenário onde todos buscam ser conceituais ou revolucionários, fazer músicas divertidas de se escutar é algo que está se tornando raro. Aqui não tem produção estrelada, não é necessário background ou conhecimento histórico, é simplesmente boa música para qualquer ocasião, se você procura algo descompromissado e bom, A Vision é o seu álbum e Seapony é a sua banda.

OUÇA: “Everyday All Alone”, “Let Go” e “New Circle”

Segundo o Wikipedia: Baixista da Que Rubens os Tambores (#ad), cantor de chuveiro, dança com o pé no ritmo da música + a mão no bolso, membro do fã clube da novela Kubanacan [citation needed], faixa cinza no judô. Uma mistura de personagens desde Doug Funnie até Harold Crick.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked