Oberhofer – Chronovision

oberhofer

_______________________________________

O maior trunfo de Chronovision é, de cara, te colocar imerso na atmosfera do álbum. O instrumental de abertura que dá título ao álbum, um pouco destoante de todo o resto do disco é o ponto chave pra essa imersão e, conforme o disco avança, você sente como se tivesse caminhando por lugares desconhecidos, sendo guiado somente pelas melodias. Após gravar 106 demos em diferentes estúdios dos Estados Unidos, Brad Oberhofer e companhia escolheram 12 faixas para compor o trabalho.

Emendada na faixa-título, “Nevana” é cativante com uma pegada post-punk mais melódica e cumpre bem o papel de ser a primeira faixa cantada do disco e segurar a atenção do ouvinte. “Together/Never” vem na sequência com um riff marcante que explode aos poucos com a percussão ao fundo e uma letra simples que faz você ficar cantando por dias depois, com certeza a faixa mais carismática do disco.

O clima de empolgação segue até a metade do disco, quando “Sea Of Dreams”, reduzindo a velocidade do disco com uma letra meio triste, meio motivacional, que casa muito bem com assobios e a melodia do piano, acompanhados da bateria marcando os compassos da faixa. A canção seguinte continua muito bem a sequência mais pra baixo do disco que volta a acelerar logo em seguida.

A partir de “White Horse, Black River”, o disco acaba ficando meio monótono, repetição de estruturas e, tirando as letras e alguns poucos instrumentais mais empolgantes, o que vemos é mais do que já rolou na primeira metade do disco. Mesmo a faixa final, que reduz mais uma vez o tempo pra acabar, não tem o mesmo brilho das baladas anteriores.

O que acontece em Chronovision é começar muito bem e perder a força com o decorrer das faixas, cada uma com seus pontos altos e baixos, porém todas se encaixando muito bem dentro da proposta da banda e, embora repetitivo na segunda parte, não é de forma alguma cansativo e merece atenção pela forma como segura a atenção, mesmo com menos força do começo até o final.

OUÇA: “Together/Never”, “White Horse, Black River”e “Sun Halo”

 

Padawan em Arquitetura, músico e ilustrador

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked