Meg Mac – Hope



Depois de um primeiro álbum que parecia ficar dividido entre querer ser intimista ou fácil de ouvir, Meg Mac volta em Hope conseguindo algo muito difícil de realizar que é unir duas vontades aparentemente conflitantes em uma única coisa muito bem feita. O álbum traz bastante vulnerabilidade sentimental ao mesmo tempo que é cativante e atraente para um público amplo.

Hope traz o melhor da voz de Meg com sua potência e expressividade e sentimos isso logo de cara com “Give Me My Name Back” uma canção que fala de auto-afirmação e identidade em tempos difíceis. A música é um R&B moderno em que a cantora traz desde a faceta mais suave até as grandes frases de fôlego e melismas característicos do gênero muito bem executados para passar a vibe que a música pede. “Sometrhing Tells Me” vem na sequência e não é uma faixa ruim mas parece reminiscente da parte mais fraca do primeiro álbum da cantora com pouca variação no canto, um piano super melódico cheio de sétimas e uma bateria simples, a música acaba obscurecida pelo que veio antes e o que vem depois no álbum.

A faixa-título é um movimento interessante porque, apesar da letra sobre acreditar num amanhã melhor, o instrumental não é super pra cima e aqui que a gente pode perceber a inventividade da artista ao cantar sobre esperança em momentos sombrios usando um instrumental mais downtempo que vai crescendo com uma voz que ganha força aos poucos, representando a vontade de sobreviver e persistir mesmo quando o ambiente em volta parece querer te derrubar.

“If You Wanted Me To Stay” é puro show off vocal no melhor sentido da coisa e lembra os momentos mais soul do primeiro álbum. É uma faixa feita com poucos elementos e bastante calcada em instrumentos orgânicos para fazer a voz de Meg Mac brilhar e conduzir a música inteira quase que sozinha e passar toda a carga de sentimento que a letra pede.

O restante do álbum traz diversas facetas da esperança e da força seja ao se libertar de um relacionamento que não serve mais, ao buscar o sucesso ou apenas sobreviver à escuridão do mundo. Hope fecha com “Before Trouble” que mostra a inventividade de Meg Mac ao usar a voz sempre num registro mais alto e experimenta bastante conduzindo a melodia em compassos pouco usuais numa faixa empolgante que faz com que você queira ouvir de novo.

Hope é tudo o que um álbum pop em 2019 deve ser: conciso, fácil de escutar, criativo dentro do que se propõe a fazer e sincero o suficiente para tocar a empatia do ouvinte.

OUÇA: “Give Me My Name Back”, “Hope”, “I’m Not Coming Back” e “Before Trouble”

Padawan em Arquitetura, músico e ilustrador

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked