Kaiser Chiefs – Duck



O Kaiser Chiefs tem uma trajetória interessante. Despontou com força com seu debut, Employment, em 2005 no auge do post punk revival. Manteve o sucesso comercial com o disco seguinte, Yours Truly, Angy Mob, e viu as vendas diminuírem gradativamente com os discos seguintes. Ressurgiru com Education, Education, Education & War, o disco mais coeso desde o debut. Stay Together, o disco seguinte, foi o pior trabalho que a banda já fez: forçadamente pop, eletrônico, genérico e esquecível. Assim, a notícia de um novo trabalho, o sétimo, veio com uma dúvida: qual direção a banda seguiria? Seria um retorno aos bons trabalhos ou eles manteriam a mediocridade de Stay Together?

Com o primeiro single dessa nova empreitada, “Record Collection”, a dúvida ainda permaneceu, pois a faixa está justamente no meio do caminho entre o eletrônico e o analógico. Foi somente com o segundo single que o Kaiser Chiefs mostrou realmente qual seria o tom de Duck. “People Know How To Love One Another” é o Kaiser Chiefs fazendo o que sabe fazer de melhor: um rock pegajoso, cheio de energia e com um refrão que já nasce clássico com a repetição constante do nome da faixa, mesmo truque que eles já utilizaram com êxito em “Ruby” e “Never Miss A Beat”.

É justamente essa energia que se destaca no restante do disco. Faixas como “Golden Oldies” e “Don’t Just Stand There, Do Something” poderiam facilmente estar em Yours Truly, Angy Mob ou Employment, apesar de que a sonoridade do disco como um todo está muito mais próxima de Off With Their Heads, o não tão bem-sucedido terceiro disco. As conhecidas características da música do Kaiser Chiefs estão todas presentes em Duck: as guitarras, a bateria bem marcada, alguma intervenção eletrônica, os refrãos e a empolgação dos vocais de Ricky Wilson estão todos lá.

Mas não pense que a banda apenas repetiu truques que deram certo no passado. Há uma série de sutis novidades que podem ser citadas: os metais de sopro da terceira faixa, “Wait”, enriquecem muito seu arranjo e a tornam um dos pontos altos do disco; “The Only Ones” se aproxima bastante do rock de arena com o qual o Kaiser Chiefs já havia flertado, mas nunca executado; “Electric Heart” tem nova preocupação e maior cuidado com as harmonias vocais. No fim das contas, esses detalhes fazem com que Duck soe fresco.

Portanto, pode-se dizer que Duck é essa obra que sabe mesclar o que de melhor a banda sempre fez com sutis e boas novidades em sua música. Quem diria que depois do estrago que foi Stay Together, o Kaiser Chiefs voltaria com um bom disco? Pois foi exatamente o que eles fizeram: um bom disco. E a essa altura da carreira não dá para esperar que eles revolucionem a música, mas depois de Duck podemos continuar esperando por bons, divertidos e bem produzidos discos do Kaiser Chiefs.

OUÇA: “Wait”, “Target Market”, “People Know How To Love One Another” e “The Only Ones”

Engenheiro Civil. Nascido nos anos 80. Criança nos anos 90. Adolescente nos anos 2000. Já foi nômade. Gostaria que o dia tivesse 28 horas. Apaixonado por música e cinema e literatura e viagens.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked