Jamie xx – In Colour

jamie

_______________________________________

Apesar de já haver lançado diversos singles, o álbum de remixes em parceria com Gil Scott-Heron, We’re New Here, e ter seu trabalho solo já bastante reconhecido, In Colour é considerado o disco de debut de Jamie xx. O álbum é resultado de cinco anos de uma longa instrospecção e reflexão sobre si mesmo e sua música, o que dá ao disco um ar intimista. O artista mencionou em entrevista ao The Guardian que a decisão de gravá-lo surgiu pela vontade de aproveitar materiais compostos nesse tempo que não haviam sido aproveitados em outros projetos.

Em In Colour Jamie brinca muito com as diferentes sonoridades e nuances, não se limitando apenas ao electro-house, mas utilizando ritmos exóticos para criar uma espécie de hipnose.  Faz uso de suas influências trazendo sons derivados do soul-pop dos anos 80, batidas de beatbox, tambores de aço, sintetizadores com o mesmo som em loop, usando tudo de maneira tão original que parece reinventar seus sons. Na grande maioria das faixas ouvimos sons que começam timidamente antes de dar forma nota por nota, pedaço por pedaço as batidas sonoras que formam as canções – como ocorre no caso de “Gosh” e “The Rest Is Noise”.

In Colour é um álbum muito consistente, com uma única música que destoa deste disco tão incomum. “I Know There’s Gonna Be (Good Times)” – com participação da cantora  Popcaan – é uma música bastante sem graça e não se encaixa sonoramente. Em contraste, a faixa de trabalho “Loud Places” é simples e despretensiosa, em que a cantora e companheira de The xx, Romy, se entrega de forma totalmente vulnerável transformando a simplicidade mundana da faixa em magia e tornando a faixa mais pop do disco simplesmente apaixonante.

Fechar os olhos e ouvir In Colour é como entrar em uma bolha onde as emoções e humores se alternam de acordo com a música. O álbum tem uma alma bastante etérea, despertando sentimentos que somente um disco tão sensível e intimista consegue trazer. É incrível a forma genial com que Jamie consegue alcançar uma sonoridade simultaneamente animada e melancólica, dando certa fragilidade a um disco tão forte e enérgico.

Não há meio-termo para In Colour, você está propenso a considerá-lo o álbum da sua vida ou detestar oitenta por cento dele. Jamie traz um trabalho maduro, não deixando nada a desejar a quem inevitavelmente compara seu trabalho solo ao realizado no projeto The xx e o consolida em carreira solo como um artista único e original.

OUÇA: “The Rest Is Noise” e “Loud Places”

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked