Jade Bird – Jade Bird



Jade Bird é uma jovem e excelente cantora e compositora do interior da Inglaterra que se destacou já em seu EP de estreia, Something American de 2017. Apesar de inglesa, sua música sempre teve um forte acento norte-americano: algo entre folk, country e americana. No entanto, em seu autointitulado debut, ela adiciona elementos do rock alternativo noventista, com referências dos melhores vocais femininos da época, tornando Jade Bird ainda mais interessante em relação ao que ela já havia apresentado.

Dessa leva de novas e fantásticas cantoras e compositoras (Phoebe Bridgers, Soccer Mommy, Snail Mail, Molly Rankin e por aí vai), talvez Jade Bird seja a dona da voz mais poderosa, mais forte, crua e direta. Jade Bird, o álbum, é recheado de faixas em que ela pode mostrar todo o alcance e energia vocal que possui. Canções como “I Get No Joy”, “Uh Huh” ou “Love Has All Been Done Before” estão em um nível bastante acima do que a média dos novos artistas tem entregado.

Boa comparação para quem ainda não conhece a música de Jade Bird é Alanis Morissette. Além da voz poderosa e do tom confessional de algumas canções, Jade adicionou forte dose do rock feminino dos anos 90 em sua estreia, tendo forte influência dos primeiros registros da canadense. Mais do que isso, o estilo de escrita de Alanis, com sua repetição de palavras e frases está bem representado em “Does Anybody Know” e “If I Die”, última e mais suave canção do disco.

É impressionante que, tão jovem, ela tenha composto todas as canções sozinha. Se faz palpável toda a segurança e confiança em cada nota, em cada acorde. É comum e até perdoável que ocorram pequenos deslizes em discos de estreia, mas não é o caso aqui. Salta aos ouvidos a importância que Jade dá à sua interpretação e ao sentimento que cada canção pede, característica essencial dos grandes intérpretes, e que deixa transparecer toda a verdade de cada palavra.

Jade despontou com canções enraizadas fortemente no country norte americano, mas ao adicionar pitadas de rock alternativo à sua música, ela construiu um forte debut. Nenhum segundo é desperdiçado e sobram faixas bem escritas, musicalmente bem construídas e com bom potencial radiofônico. Jade Bird está apenas começando sua carreira, mas com este disco ela provou que está no caminho certo e sabe muito bem a artista que quer ser.

OUÇA: “Lottery”, “Does Anybody Know”, “Uh Huh” e “Love Has All Been Done Before”

PS.: O foco do texto de hoje é Jade Bird, mas já que Phoebe Bridgers foi citada, não deixem de ouvir Better Oblivion Community Center, parceria dela com Conor Oberst e um dos melhores discos do ano.

Engenheiro Civil. Nascido nos anos 80. Criança nos anos 90. Adolescente nos anos 2000. Já foi nômade. Gostaria que o dia tivesse 28 horas. Apaixonado por música e cinema e literatura e viagens.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked