Inara George – Dearest Everybody


No primeiro verso de “Young Adult”, música que abre o terceiro álbum de carreira, Inara George canta ‘I was the daughter of my father‘. Filha de Lowell George, famoso integrante da banda de rocks dos anos 70, Little FeatInara constrói o album como uma íntima e amorosa carta de despedida ao seu pai. Não é um album de luto, mas sim de  amadurecimento, aprendizado e resistência.

Dearest Everybody (2018) é o seu primeiro álbum solo desde de 2009, no qual ela desnuda décadas de experiências, enquanto processava a morte de seu pai, cuidava de sua mãe e três filhos e ainda lidava com a sua própria discórdia interna, aquela de sentir tudo intensamente. Como resultado, uma música como “Young Adult” não soa egoísta, mas, em vez disso, auto-consciente do egocêntrismo natural do ser humano. Os arranjos superpostos com toques de teclados harmonizados com a voz de George tornam a canção cada vez mais  sensível e resoluta.

Da mesma forma, a simplicidade de um arranjo  com guitarra acústica em”Crazy” reflete uma conexão emocional franca e decidida que perpassa todo o álbum. Em músicas como “Somewhere New”, sua aceitação terrena é tão explícita que o instrumental torna-se um suporte, quase supérfluo. À medida que o álbum progride, mais envolvente as faixas ficam, como em “Slow Dance”, só que mais  genérico é o resultado final. O que faz com o que se perda todo potencial de originalidade e conexão com o ouvinte.

As referências de Inara do “cliché melódico”em “All For All” ainda são clichês. Infelizmente, ela repete a forma desgastada do sentimentalismo barato, como fica claro em “Stars”. Independentemente disso, o álbum consegue ter momentos de delicadesa e intimidade, como uma honesta carta de admiração ao seu pai.

OUÇA: “Young Adult”, “Crazy” e “Slow Dance”.

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked