MUNA – Saves The World


MUNA é Katie Gavin, Josette Maskin e Naomi McPherson. Fazendo música juntas desde 2013, quando iniciaram o projeto, o jovem trio se conheceu na faculdade e, dali, passaram a trabalhar juntas sob a identidade que as tornou famosas.

Depois de um relativo sucesso com os primeiros materiais e um modesto alcance de seu trabalho antes de 2015, a música de Gavin, Maskin e McPherson foi impulsionada por um remix de “Winterbreak”, uma das canções do primeiro álbum do trio, feito pelo DJ Tiësto em 2016.

Após o lançamento primeiro álbum, About U, em 2017, MUNA abriu shows para o Grouplove nos Estados Unidos (e mais recentemente para Harry Styles, também), se apresentou no Lollapalooza em Chicago e teve músicas em trilhas sonoras de audiovisuais, além de aparições na TV americana. As particularidades da música entregue pela banda, composta por três mulheres abertamente lésbicas e celebrando o poder feminino, foram combustíveis que alimentaram a espera espera por mais material inédito.

Saves The World é, assim, uma obra completa. Vai de momentos que parecem clamores, com “Who”, a canções que parecem proposta de outro grupo, como “Number One Fan”, esta última contrastando com a melancolia do restante do álbum. O segundo disco do trio de indie pop foi entregue em 6 de novembro, cerca de dois anos após o debut, About U, ser liberado.

A fórmula — uma atmosfera oitentista, guitarras elétricas, batidas enérgicas e mensagens fortes nas composições — é repetida neste novo registro. MUNA traz junto de si, em Saves The World, questões sobre política, ansiedade e depressão e sobre a sexualidade. O disco serve como um apelo à audiência que, em uníssono com as artistas, vive tempos tempestuosos. A crítica é evidente.

O segundo disco poderia ter tardado mais a chegar — mas teria sido um desperdício de tempo. Seguindo na esteira do sucesso de About U a decisão mais consciente foi se entregar ao novo material do projeto logo os compromissos com a divulgação de disco anterior abrandassem. O que resultou em segundo álbum, com outras 12 músicas inéditas. Quatro das quais trabalhadas com singles antes do lançamento em setembro.

Talvez Saves The World não nos traga hinos como About U nos trouxe, o que é caso de “I Know A Place”, “Loudspeaker” e “So Special”, canções que podem ser tornar atemporais e marcas de uma geração que desperta para sonoridades diferentes na segunda década dos anos 2000. No entanto a mensagem proposta pelas três segue na mesma linha, tão boa quanto o disco anterior.

OUÇA: “Stayaway”, “Who” e “Number One Fan”

MUNA – About U

_______________________________________

Conheçam Katie, Josette e Naomi, as cabeças por trás do MUNA, diretamente de Los Angeles e com pouco tempo de carreira, não demorou muito para que as meninas amadurecessem seu som, lançassem um EP de qualidade e ganhassem uma parcela considerável de fãs mundo afora. Apesar de ainda estarem com uma identidade própria em desenvolvimento e uma estética não tão clara quanto podia ter, as meninas não falham em entregar uma ótima adição para 2017.

About U tinha tudo pra ser mais uma coletânea de desabafos e devaneios de um amor incondicional, mas mantém seus pés no chão e explora relacionamentos reais: falhos e inesquecíveis (pro melhor ou pro pior), mas vamos colocar os pingos nos is, o álbum quer sim viver uma grande paixão, mas sabe que tem suas feridas pra sarar, uma cota de perdoar e ser perdoado pra cumprir, hábitos pra mudar e acima de tudo sabe que sua prioridade pra que as coisas tenham a mínima chance de dar certo é focar e amar a si mesmo, em resumo, citando uma certa drag queen muito famosa “se você não consegue amar a si mesmo, como diabos vai amar outra pessoa?”.

Não por acaso, tomando as dores da comunidade LGBT (já que as próprias fazem parte da mesma) e claramente se posicionando contra o atual cenário político norte-americano, as garotas conseguiram, mesmo de uma forma sutil, trazer um pouco de clareza e esperança pra quem anda perdido e descrente dos rumos em que as coisas andam, em especial em sua série de lyric vídeos onde não há apenas uma levante pra causa LGBT como também incorporação étnica, discussão sobre padrões de beleza e relacionamentos tóxicos, o que por si só já é uma grande motivo para motivar qualquer pessoa a dar uma chance para elas.

Uma das maiores preocupações com o álbum era elevarem ou manterem o mesmo nível que as garotas já haviam mostrado no EP, e felizmente isso acontece, ia ser difícil se desviar de músicas poderosas como “So Special” ou “Promise”, porém a maioria das músicas apresenta o mesmo calibre, mas é em “Everything” que About U atinge seu ápice, uma música simples e chorosa rapidamente se transforma em uma faixa de pura entrega emocional carregada de sensualidade, fazendo uma menção direta não apenas a capa e título do trabalho, como também reafirmando a essência dark pop da banda.

Os ares juvenis e melancólicos estão presentes no trabalho, e talvez esse seja justamente o principal contra de About U, abordar temas tão recorrentes na vida de tantas pessoas mas focar apenas em um grupo específico acaba tornando toda a experiência um pouco rasa, mas logicamente, não dispensável. E se tratando de um debut, não é nenhuma surpresa o encaixe entre as faixas não ser tão polido quando podia graças a adição de músicas antigas

About U, tanto em álbum quanto em vídeos, transparece importantes mensagens como inclusão, amizade e amor-próprio, assuntos vitais do dia a dia, o que cria uma estrutura bem firme pro grupo e é uma porta de entrada pra todo tipo de ouvinte, não vai ser nenhuma surpresa se ao longo do tempo as meninas caírem no gosto do grande público e se tornarem queridinhas de muitas playlist por aí. Mesmo não sendo um trabalho arrebatador, MUNA deixa claro seu potencial, uma boa pedida pra quem anda procurando bandas novas ou uma simples ouvida sem compromisso.

Parada obrigatória pra quem curte HAIM, Shura e Warpaint!

OUÇA: “Winterbreak”, “Around U” e “Everything”.