Said the Whale – Cascadia


Pouco se fala, mas Cascadia — título do 6º álbum de estúdio da Said the Whale — é o nome dado a uma biorregião localizada a oeste da América do Norte. É também o nome escolhido para uma proposta de país (país este que abrangeria alguns pontos dos Estados Unidos e Canadá). Inclusive, se olharmos o merchan da banda, veremos a bandeira verde, azul e branca do país proposto em meio aos demais itens à venda.

Em termos de som, Cascadia mostra o trio canadense (formado por Tyler Bancroft, Ben Worcester e Jaycelyn Brown) mais pop. Melodias melosas, letras diretas e simples, instrumentos básicos (guitarra, baixo, bateria e teclado). Nada muito fora da caixa.

Com 12 faixas, o sucessor de As Long As Your Eyes Are Wide, tem faixas que se sobrepõem: a faixa título tem uma pegada indie rock parecida com a de bandas como Real Estate. “Old Soul, Young Heart”, por sua vez, freia a levada pop rock do disco e incorpora o folk com ukulele e acordeon. “Record Shop” é meio nostálgica e chicletinho (até demais), parece ter sido tirada de um disco antigo do Weezer. “Moonlight”, que tem jeitão de lado B, tem belos teclados.

A paternidade recente de Bancroft serve de guia nos temas das letras: “Level Best”, penúltima faixa, é uma balada de amor incondicional; “Love Don’t Ask”, cantada por Worcester, além de possuir teclas semelhantes a xilofones infantis, parece querer ensinar uma lição e ao mesmo tempo provar esse amor incondicional.

Cascadia funciona bem como faixas independentes. O álbum não soa como uma unidade, apesar de navegar pelas águas do pop rock/indie rock quase todos os seus 38 minutos de duração. Acaba que, para os ouvintes que não são tão fãs da banda, o cd se torna meio cansativo, mais do mesmo. Porém, certamente os adoradores curtiram este que, para o próprio frontman, é o “mais Said the Whale dos álbuns do Said the Whale”.

Se fosse escalada para festivais como o Lollapalooza, a banda se sairia bem pelo conteúdo popular do seu som. No mais, Cascadia não mostra grandes novidades para o mundo da música. Contudo, soa como a vontade de se construir algo novo. Fica na vontade, assim como o país.

OUÇA: “Cascadia”, “Level Best” e “UnAmerican”

Leave a comment

Please be polite. We appreciate that. Your email address will not be published and required fields are marked